... Julgo que depois destes malabarismos, os currículos das pessoas com funções políticas activas com o propósito de praticar o bem comum de uma nação, devem ser exigidos e publicados em Diário da Republica para qualquer cidadão poder consultar e certificar-se das habilitações de cada politico. Não deve ser uma opção, mas uma condição contemplada numa lei própria para o efeito, pois como sabemos, nenhum trabalhador é admitido numa função numa empresa, sem referências e/ou curriculo académico/profissional. será verdade que o PS está "calado" neste caso da licenciatura de M. Relvas porque o Irmão Maçon António Seguro dos Bancos (da Universidade Lusófona) foi um dos professores envolvido no processo?...

Indigna-te Portugal: OE20012 Economia Crise MEE Portugueses Escravos da UE NÃO! Terrorismo Económico e Social NÃO! Revolução Nacional!!



Basta Bandeira Negra Revolução Nacional
OE2012. O Orçamento de Estado 2012 é o Maior  Assalto dos últimos 30 anos. Trata-se de um verdadeiro ATAQUE DE  TERRORISMO  ECONÓMICO E FINANCEIRO CONTRA PORTUGAL E OS PORTUGUESES.

O Governo dos agentes dos bancos, os tais companheiros que quando na oposição e em campanha eleitoral, eram terminantemente contra os aumentos de impostos (por isso ganharam as eleições com aproximadamente 25% de votos, visto que 50% da população votou, o que os torna ilegitimos, pois não representam o povo), estão-se a revelar no maior "Cobrador do Fraque de que em Portugal não há memória, defraudaram e atraiçoaram todos aqueles que os elegeram.

O que está a ser feito a Portugal e a nós portugueses, consiste numa Operação Militar de Terrorismo Económico.
Nem sequer, é preciso ter uma cátedra em economia, para saber que seguindo este rumo, vamos ao fundo. É isto, o que me leva a não conseguir entender o Silva das alfarrobas do poço de Boliqueime que quando ouço falar, lá na tasca, todo aperaltado que até parece um Dr, afiança que estamos no bom caminho. Já não o posso ouvir.

Onde é que nós íamos? Ah! Tavamos a falar de economia, o Orçamento Irregular do Estado até Março de 2012. Orçamento Irregular do Estado? Até Março? Era para ser o Orçamento Geral de Estado, mas não é porque aquele moço que apregoa o saque,  o moço do Fraque, não me lembro o nome dele, mas também não interessa, o que interessa é que ele disse que se calhar não chega. E não vai chegar.

No outro dia, ouvi o Ministro das Finanças falar no Palácio da Bolsa, lá no Porto, e confesso que apanhei medo quando o ouvi discursar. Fez-me lembrar aqueles cábulase que vão à prova oral sem saber patavina. Aqueles moços que no tempo da Dona Francelina, para passarem no exame da 4ª, tinha que a mãe oferecer uma galinha e uma saca de griséu professora.
Então não é que ele passou o tempo todo com a cabeça em baixo, perdido, a olhar para um livro de um qualquer especulador estrangeiro, sem saber o que dizer. Para mim chumbou no exame. Tive para abandonar logoa sala, só não saí que a Zita e o Antóino Pedro insistiram para que ficasse.

Falando de economia, confesso que o Ti  Manel das vacas sabe mais de economia que o Gaspar. É que o Ti Manel das Vacas sabe que para colher tem que semear, e ov Gaspar não sabe.

O que estes gajos tão a fazer é a desmantelar o país para consolidar e aumentar o controlo politico da União Europeia, e a cumprir o plano dos NAZIS de recriação do grande império Alemão. A Merkel é que manda!

Em Março é preciso fazer um novo orçamento para enviar para Bruxelas aprovar, como tal vai haver mais um novo aumento de impostos. E vamos ter que levar com o Mecanismo de Estabelização Europeia MEE.

O MEE é o novo pacto de escravização dos povos da União Europeia, criada pelo grupo Bilderberg do Irmão Barroso e Irmão Von Rompuy da Soberana Ordem Militar de Malta
O MEE  é um acordo irrevogável, em que 17 paises, Portugal incluido comprometem-se a salvar o Euro, custe o que custar, e o continuar a alimentar e engordar o BCE de JP Morgan. Video e download no fim da página
O MEE é o novo ditador europeu. Quando quer, e tão frequentemente quanto quiser,ele pode simplesmente exigir a países da zona euro que paguem milhares de milhões em 7 dias!! Ele pode arruinar um governo em menos de uma semana!!!


O atentado fiscal:

Reformas Douradas de Politicos são Sagradas Não se Toca

Rouba-se dois ordenados ao professor que prepara os homens e mulheres de amanhã, mas nos politicos que aruinaram o país não se toca, roubam dois ordenados ao militar que defende a pátria, mas nas reformas douradas não se toca, roubam dois ordenados ao policia que  faz a segurança da Nação mas nos que aruinaram o país não se toca, os reformados vão ser espoliados, os trabalhadores do privado vão trabalhar mais um mês por ano, mas nas reformas douradas não se toca. Vão aumentar IRS, IRC, IVA, TSU, IMI, IMT, mas nas reformas douradas não se toca. Por outro lado, aumentam o IVA na restauração, o que vai levar à falência de milhares de empresas e de despedimentos, mas o golfe é um bem de primeira necessidade e fca a 6%, e as Mais-Valias Mobiliárias da bolsa especulativa são sagradas.

O assalto de que vamos ser alvo

 Continua tudo cada vez pior, os tubarões contiam o saque, o buraco da Madeira aumenta, os bancos têm de ser salvos e nós levamos com a canga. Os contribuintes são chamados a pagar, por via do aumento dos impostos, uma carga brutal da redução do défice. As empresas vão falir e muita gente vai ter que entregar a casa ao banco.

As receitas com impostos terão de subir em 2012 o equivalente a 1,6 pontos do PIB (cerca de 2,5 mil milhões de euros). As despesas terão de descer quase o dobro.

O próximo Orçamento trará mudanças para muito pior nos principais impostos:

IRS

- definição dos «limites globais progressivos para as deduções»: sabe-se, para já, que os contribuintes com rendimentos colectáveis acima dos 66.045 euros vão ficar impedidos de efectuarem deduções de despesas com saúde, educação ou encargos com imóveis

- os contribuintes que tiverem rendimentos colectáveis mais altos (que superem o último escalão, ou seja, um rendimento colectável superior a 153 mil euros por ano) sofrem ainda um novo aumento, de 2,5 pontos, na taxa máxima de IRS, fruto da chamada «taxa adicional de solidariedade». Na prática, a taxa máxima do IRS, passará de 46,5% passará para os 49%

- mais um roubo na redução do número de escalões de IRS

- convergência das deduções em sede de IRS entre rendimentos de pensões e de trabalho

- tributação de todos os pagamentos de prestações sociais em espécie: fica a dúvida de como será feita a tributação, por exemplo, do subsídio de desemprego

IRC

- eliminação das taxas reduzidas, revogação das isenções subjectivas e restricção dos benefícios fiscais. Falta saber quais

- «agravamento temporário» da tributação das empresas com lucros mais elevados em sede de derrama estadual. Ou seja, a taxa adicional de 2,5 pontos que está em vigor para as empresas com lucros tributáveis superiores a dois milhões de euros, passa a ser de 3 pontos percentuais e passa a aplicar-se a quem apresente lucros tributáveis acima de 1,5 milhões de euros

IVA

- reestruturação e racionalização das taxas, que inclui a transferência de bens sujeitos à taxa reduzida (6%) e intermédia (13%) para taxas mais elevadas, que inclui a passagem de bens para a taxa máxima (23%)

- redução de isenções em sede de IVA e das taxas de que gozam as Regiões Autónomas, que passarão, nota a Lusa, a não poder beneficiar de uma redução superior a 20% face às taxas praticadas no Continente

- aumento do IVA da electricidade e gás natural de 6% para 23% - que estava prevista para o próximo ano, - já entrou em vigor para compensar o desvio orçamental deste ano, e é para manter

- por esclarecer estão as mudanças nas taxas do IVA que serão realizadas para compensar os cortes na TSU, cuja redução também não está definida

Mais-Valias Mobiliárias são Sagradas

- os especuladores da divida têm de continuar a especular, mas tem que se jogar areia para os olhos do povo para que este não reclame, e então as taxas das mais valias em bolsa passam de 20 para 21,5% em 2012

Impostos Especiais sobre o Consumo - IEC

- actualizada e reforçada a tributação de certos bens. Impostos serão aumentados, não se sabe quanto nem quais. Entre eles, estão os impostos sobre o tabaco, bebidas alcoólicas, ou veículos.

IMI e IMT

- redução das isenções e revisão as taxas; reforçados benefícios fiscais concedidos a prédios de reduzido valor patrimonial de sujeitos passivos de baixos rendimentos

- reequilíbrio gradual da tributação do património, privilegiando os recursos a obter através do IMI face às receitas de IMT

- conclusão da avaliação geral dos prédios urbanos até final de 2012 de forma a «actualizar o valor patrimonial tributário daqueles imóveis»

MEE, o novo ditador europeu



Mecanismo de Estabelização Europeia MEE o Novo Ditador Europeu Download

Informação abaixo tirada do site Coort Fool Info
MEE O TRATADO DE ESCRAVIZAÇÃO EUROPEU
O tratado do MEE será tornado definitivo quando os Parlamentos dos 17 países da zona euro o tiverem ratificado. Espera-se que o façam entre esta data e 31 de Dezembro de 2011.

O que é esta aberração?

Esta foi a minha primeira reacção quando vi este vídeo. Isso não é possível. Uma organização que pode esvaziar os cofres dos Estados quando lhe aprouver? Vivemos nós num país democrático? Para me certificar examinei os textos oficiais, ou seja, o tratado que estabelece o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE ou, na sigla em inglês, ESM).

TREATY ESTABLISHING THE EUROPEAN STABILITY MECHANISM (ESM)


http://consilium.europa.eu/media/1216793/esm%20treaty%20en.pdf

Podem-se aí encontrar facilmente os artigos mencionados no vídeo (a partir da página 19). Quanto ao resto do tratado, não consegui encontrar nada que limitasse este poder ditatorial. Ainda estou trémulo!

Mas como é que isso é possível no quadro dos tratados da União Europeia? Trata-se de uma extensão ilegal das competências da União! Investigando mais descobri que certas decisões foram tomadas discretamente e rapidamente a fim tornar "possível" este MEE.

Estou certo de que se políticos no nosso país quisessem criar um clube que tivesse a possibilidade de esvaziar os cofres do Estado quando quisessem e tão frequentemente quanto quisessem, eles não conseguiriam efectuar as alterações legais necessárias, nem mesmo em vinte anos! Mas a burocracia de Bruxelas conseguiu preparar os tratados a toda velocidade a fim de cometer este golpe de estado em 17 países simultaneamente!

A CORRIDA AO FUNDO DE BRUXELAS

Em 17 de Dezembro de 2010 o Conselho Europeu decidiu ser necessário um mecanismo de estabilidade permanente, para retomar as tarefas do Mecanismo Europeu de Estabilidade Financeira (EFSM, na sigla em inglês) e da Facilidade de Estabilização Financeira Europeia (EFSF, na sigla em inglês). Estas duas organizações foram montadas rapidamente, respectivamente em Maio e Junho de 2010, a fim de proporcionar empréstimos a países com demasiadas dívidas. Contudo, falta uma base legal a ambas as organizações.

Note-se desde já que estas duas organizações foram concebidas explicitamente para intervenções financeiras, mas que a emenda no Tratado sobre o funcionamento da União Europeia, para montar o MEE, permite igualmente o estabelecimento de outras organizações em campos de acção muito diferentes.

Esta emenda acontece em 25 de Março de 2011. Para evitar ter de organizar novamente referendos na Europa, eles utilizaram o artigo 48.6 do Tratado da União Europeia, o qual permite ao Conselho Europeu decidir modificações aos artigos do tratado – desde que elas não impliquem uma extensão das competências da União. (Tais decisões devem, contudo, ser ratificadas pelos Parlamentos nacionais, mas geralmente isso é apenas uma formalidade). A emenda consistiu num acréscimo de aparência inocente a um parágrafo do artigo 136. Em suma, este acréscimo estipula que "os países da UE que utilizam o euro são autorizados a estabelecer um mecanismo de estabilidade para salvaguardar a estabilidade da zona euro no seu conjunto". Aqui, já não se trata mais explicitamente da estabilidade financeira. Através desta emenda, também a repressão de tumultos, a vigilância de cidadãos vigilantes ou o combate contra qualquer outro elemento desestabilizador na zona euro poderão igualmente ser conferidos a novas organizações sob a bandeira da UE.

Por outras palavras, esta emenda constitui com certeza uma extensão das competências da UE. Contraria portanto o artigo 48.6 do Tratado da União Europeia. Contudo, nem um ministro, nem um Parlamento nacional manifestou descontentamento em relação a isso e em Bruxelas eles continuaram alegremente e rapidamente a montar o tratado do MEE.

Em 20 de Junho de 2011 os Parlamentos nacionais autorizaram que as tarefas do tratado do MEE fossem efectuadas pela UE e o Banco Central Europeu.

Em 11 de Julho de 2011 o tratado foi assinado. Embora a assinatura tenha sido anunciada posteriormente, na abertura de uma conferência de imprensa à qual assistiam dezenas de jornalistas, no dia seguinte não houve uma única manchete nos jornais (nem ao nível nacional, nem ao internacional) acerca da assinatura deste novo Tratado Europeu. Será pelo facto de Juncker o ter anunciado em francês... antes de prosseguir a conferência de imprensa em inglês? [NR]

http://tvnewsroom.consilium.europa.eu/event/eurogroup-meeting-july-2011/press-conference-part-1-284/

Neste momento o tratado está à espera de ratificação pelos Parlamentos nacionais. Estas ratificações são aguardadas entre a presente data e 31 de Dezembro de 2011.

O tratado ainda não está em vigor e eles já falam na necessidade de elevar o capital de 700 mil milhões de euros (ou seja, 2.100 euros por cidadão da eurozona) para 1500 ou 2000 mil milhões, portanto duas a três vezes mais.

De acordo com o texto do tratado, este deveria entrar em vigor em Junho de 2013. Agora querem fazê-lo já em 2012.

Logicamente, pedirão aos Parlamentos que se apressem a ratificar o tratado. Na Alemanha o assunto já está em debate nestes dias. Aparentemente será preciso que se apressem: há cada vez mais alemães que acordam!

Se quisermos utilizar os últimos fiapos de democracia para impedir esta ditadura, devemos, a toda pressa, despertar o maior número de cidadãos possível e enviar tantas mensagens e cartas de protesto quanto possível a parlamentares, políticos e partidos políticos. Sentar e esperar que outros o façam é catastrófico no actual estado de coisas.

Se dispuser de contactos no estrangeiro, envie-lhes informações também. Na maior parte dos países euro nada ou quase nada se sabe sobre este assunto. Naturalmente, não ajuda nada que o texto do tratado que Bruxelas disponibilizou na Internet esteja apenas em inglês. Exactamente 98,7% dos cidadãos da eurozona falam outras línguas! Não, não me diga que fizeram isso de propósito!

Quando um ditador se senta no seu trono, não se consegue removê-lo antes de 30 anos! Será que queremos deixar isso aos nossos filhos?

Fotos para a posteridade

Para ver a série de 30 fotos com as pessoas a quem se perguntará um dia porque puseram fim às democracias soberanas na Europa clique em fotos para a posteridade .

Link: http://consilium.europa.eu/council/photographic-library.aspx?command=PIC&pic=1&bid=170&lang=en&rubrique=3736&dateEvent=11/07/2011&id=&picid={60bec2d5-00c7-43eb-8822-7970df493f13}

Em Julho de 2011 os ministros das Finanças da eurozona eram:

•Maria Theresia Fekter, Federal Finance Minister of Austria

•Didier J.L. Reynders, Minister of Finance of Belgium

•Kikis Kazamias, Minister of Finance of Cyprus

•Jürgen Ligi, Minister of Finance of Estonia

•Jutta Pauliina Urpilainen, Minister of Finance of Finland

•François Baroin, Minister of Finance of France

•Wolfgang Schäuble, Federal Minister of Finance of Germany

•Evangelos Venizelos, Deputy Prime Minister and Minister of Finance of Greece

•Michael Noonan, Minister of Finance of Ireland

•Giulio Tremonti, Minister of Finance of Italy

•Luc Frieden, Minister of Finance of Luxemburg

•Tonio Fenech, Minister of Finance, Economy and Investment of Malta

•Jan Cornelis "Jan Kees" de Jager, Minister of Finance of the Netherlands

•Vítor Gaspar, Minister of Finance of Portugal

•Ivan Mikloš, Minister of Finance of Slovakia

•Franc Križaniè, Minister of Finance of Slovenia

•Elena Salgado Méndez, Minister of Economy and Finance of Spain


•Nota do Autor:
Enviem-me por favor links de artigos sobre o tratado do MEE, assim como informações a divulgar sobre acções em curso ou em perspectiva, para que eu possa publicá-las e http://www. courtool.info . Email: CourtFool@orange.nl . RR

A utilização do vídeo e da cópia do texto acima em outros sítios web é calorosamente recomendada!

Além do vídeo com legenda em português também há versões com legendas em inglês, holandês, francês, castelhano e búlgaro. Quem quiser pode solicitá-las gratuitamente através do email acima. Se falar perfeitamente outra língua europeia, queira por favor contactar-me para legendar o vídeo também nessa língua.

Elabore a vossa própria mensagem para protestar contra este tratado do Mecanismo Europeu de Estabilidade e os poderes ditatoriais previstos para esta organização. Exija que os parlamentos nacionais recusem a ratificação.

[NR] No dia 13 de Outubro de 2011 o Conselho de Ministro português aprovou resolução para permitir a criação de bases na lei que vai instituir o Mecanismo Europeu de Estabilidade, que irá substituir a partir de 2013 o Fundo Europeu de Estabilização Financeira (FEEF). O comunicado emitido diz que "Esta decisão tem por objectivo alterar o Tratado sobre o Funcionamento da União Europeia de forma a criar uma base jurídica para instituir o Mecanismo Europeu de Estabilidade (MEE) destinado a permitir alcançar a estabilidade financeira da zona euro". Ver Expresso .

Ver também MES, coup d'état dans 17 pays , do mesmo autor.

A versão em francês encontra-se em http://www.courtfool.info/fr_MES_le_nouveau_dictateur_Europeen.htm

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .


Saiba mais sobre o em Court Fool Info

Indigna-te e Revolta-te antes que seja tarde

Write About Or Link To This Post On Your Blog - Easy Links :
Link Directly To This Post :

Link To The Homepage :

1 comentário:

  1. I believe in a united europe but not the way its progressing.Germany and others including the portuguese wealthy are eating the workers in a similar way as the preying menphis eats its partner.Why should we suffer for the mistakes of the rich.When this happened in France the french people invented the guilotene and I believe its time to reintroduce it.Look anywhere in the world and compare the incomes between rich and poor.Germany .3% interest Portugal 10.9% greece 22.5%.Screw the union and the germans.

    ResponderEliminar

Os comentários são livres, portanto não expressam necessariamente a opinião do blog.
Usem-no com sapiência, respeito com os demais e fiquem a vontade.
A Administração do Website

Revolta Total Global Democracia Real Já

Democracia Real Ya
Saiba Quem Manda nas Agências de Rating
Saiba Como Funcionam, a Quem Benificiam e Servem os Ratings das Agências de Notação Financeira; Conheça a Moody's

Occupy The Banks

Conheça Dívida Soberana das Nações e o Império do Fundo Monetário Internacional FMI

World Revolution For Real Democracy Now
Conheça os Estatutos do FMI; Direito Especial de Saque Incluido

Take The Square

Occupy Everything

Tomem as Praças
Saiba Porque não Falam na Islândia

Recent Posts

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...